Algumas pessoas se destacam para nós (...) Não importa quando as encontramos no nosso caminho. Parece que estão na nossa vida desde sempre e que mesmo depois dela permanecerão conosco. É tão rico compartilhar a jornada com elas que nos surpreende lembrar de que houve um tempo em que ainda não sabíamos que existiam. É até possível que tenhamos sentido saudade mesmo antes de conhecê-las. O que sentimos vibra além dos papéis, das afinidades, da roupa de gente que usam. Transcende a forma. Remete à essência. Toca o que a gente não vê. O que não passa. O que é (...) Com elas, o coração da gente descansa. Nós nos sentimos em casa, descalços, vestidos de nós mesmos. O afeto flui com facilidade rara. Somos aceitos, amados, bem-vindos, quando o tempo é de sol e quando o tempo é de chuva. Na expressão das nossas virtudes e na revelação das nossas limitações. Com elas, experimentamos mais nitidamente a dádiva da troca nesse longo caminho de aprendizado do amor. "

4 comentários:

Buba. disse...

Lindo o texto! E eu concordo com você, tem vezes que me pego pensando "como que eu consegui viver tanto tempo sem tal pessoa na minha vida."

Meire disse...

Elaine, que lindo!!! Adoro demais da conta me sentir assim com as pessoas, é uma delícia :)
bjokitas com carinho flor!

Layz Costa disse...

que lindoooo, ameiii, intensoo....
adorei seu cantinho e passo a te seguir....

Dinorah disse...

Elaine,
Quase senti um cheirinho de camomila. É verdade, tem pessoas que são aconchegantes, confortáveis, suaves, assim como este texto lindo.
Um beijo
Dinorah