"Apesar do medo
escolho a ousadia.
Ao conforto das algemas, prefiro
a dura liberdade.
Vôo com meu par de asas tortas,
sem o tédio da comprovação.


Opto pela loucura, como um grão
de realidade:
meu ímpeto explode o ponto,
arqueia a linha, traça contornos
para os romper.


Desculpem, mas devo dizer:
eu quero o delírio."

2 comentários:

Meire disse...

Elaine querida, que delícia de versos menina :)

Apesar de tudo nessa vida, escolhemos ser loucamente felizes! Ainda bem.

bjokitas com carinho pra ti

Ingrid disse...

perfeição!
isso é viver..
beijos..